Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paulo Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paulo Auster

10.Ago.18

Transmitem essa força

IMG_20180810_154019.jpg

Algo enfureceu o sol esta tarde, o astro liberta mais calor, na aldeia da Barrada os seus raios transmitem essa força ao atigirem os raros aldeões que percorrem a rua. No interior da biblioteca ambulante a corrente de ar que entra e sai pelas portas escancaradas desafia a temperatura de trinta e cinco graus. Tenho esperança que os leitores façam a mesma disputa, ao encontro das histórias que os aguardam.

09.Ago.18

No mesmo espaço

IMG_20180809_182353.jpg

IMG_20180809_181119.jpg

IMG_20180809_171301.jpg

A biblioteca ambulante continuou a sua viagem a outra aldeia, Arreciadas onde os mais novos dispõem das tecnologias da internet e a maneira de viver de outros se reunem no mesmo espaço, onde têm o mundo a seus pés, num abrir e fechar de olhos. Sejam bem-vindos todos eles(as)!

09.Ago.18

Salada de letras

IMG_20180809_153654.jpg

 Lucrando a sombra do grande plátano, a biblioteca ambulante com as suas histórias esconde-se do sol, na aldeia de Vale Zebrinho, nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra. Os ramos acelarados, pela acção do vento, com as folhas largas copiando leques, lançam ar fresco no interior da biblioteca. Este arrebatamento agradável, solta as letras do interior dos livros, as palavras desmembram as frases, as histórias misturam-se. O tumulto exagerado provoca um movimento oscilatório na biblioteca, as letras, as palavras, até os sinais de pontuação atulham todo o espaço ao redor. Nas prateleiras permaneceram as encadernações, as brochuras e as folhas dos livros. Espero impacientemente pelos leitores(as) para me acudirem nesta salada de letras!

08.Ago.18

A formar e quase a chorar

IMG_20180808_153652.jpg

IMG_20180808_153839.jpg

IMG_20180808_165015.jpg

IMG_20180808_174200.jpg

 Mais uma tarde onde o vento é protagonista, nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, a biblioteca ambulante teve uma tarde preenchida. Na aldeia da Amoreira os frequentadores da biblioteca, despontaram com vontade de levar outras histórias. Na outra aldeia, Rio de Moinhos, a tarde foi completa com a Celeste e as duas histórias que leu para uma diminuta, mas estupenda plateia. A conversa ainda se prolongou em torno das histórias da pequenada, provocando os crescidos a formar e quase a chorar!

Pág. 1/2