Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

02 Out, 2018

Não me canso

IMG_20181002_165636.jpg

IMG_20181002_165906.jpg

IMG_20181002_165959.jpg

IMG_20181002_172934.jpg

IMG_20181002_170449.jpg

IMG_20181002_173534.jpg

 

IMG_20181002_170526.jpg

 Não me canso de captar estes panoramas do rio Zêzere folgado, todas as vezes que atravesso este território no norte do concelho e no seu limite geográfico, nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra. Olhar fixamente o horizonte, imaginar o rio quando foi estreito, a história que ficou submersa, mas não perdida, as memórias estão guardadas nos livros, nos jornais, na comunidade. O fitar do viajante na biblioteca ambulante analisa que o desenvolvimento não está muito preparado, embora exista algumas estruturas de lazer onde os visitantes são bem recebidos, uma praia fluvial, recentemente inaugurada, uma casa de restauração com aptência literária, onde o compositor, cantor, músico, encenador,dramaturgo, realizador e escritor Sérgio Godinho, apresentou uma obra sua. É assim na aldeia de Fontes, afastada, mas actualizada com grande margem de progressão na sua sustentabilidade, assim o queiram as suas gentes e administradores deste território.

01 Out, 2018

Todas distintas

IMG_20180919_184757.jpg

 

Nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, há itinerários onde a via terrestre cruza a via férrea. Ambas permitem mudanças de um lugar para outro, as duas até nos podem conduzir ao mesmo destino, com maior rapidez, mais prolongada e com menos kilómetros. A biblioteca ambulante afasta-se de aldeias para se aproximar de outras sem interrupções, sempre nas mesmas aldeias. Há viagens pequenas, mais longas, mais sinuosas com menos obstáculos, com fenómenos meteorológicos bons e maus, mas todas distintas. A determinação do viajante das jornadas com letras é sempre a mesma, levar e dar histórias, vontade de ver e conhecer outras gentes do mesmo território, mas tão diferentes no norte e no sul.

Pág. 6/6