Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

31.Jan.20

Nunca deixaram de enfrentar obstáculos

historiasabeirario
  As névoas dão o mote para as viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, um véu de água miudinha mantém-se desde as primeiras horas do dia. Não sei por mais quanto tempo este envolvimento atmosférico perdurará, mas enquanto as histórias se intrometerem nos lugares que a biblioteca ambulante visita, nenhuma cortina as ocultará, na promoção da leitura. A chuva tomou conta da tarde na aldeia de Martinchel, a colocação de um painel informartivo da (...)
13.Jan.20

Não tardam nada, estão aí outra vez

historiasabeirario
  As viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, não são só a responsabilidade de levar e trazer histórias, intervalando lugares sucessivos. São também agarrar sensações, os cheiros, as temperaturas, a precipitação o vento, apreciar os sítios onde estão as pessoas, a natureza que envolve os itinerários. Ter consciência dos modos de viver destas gentes, muito diferente de quem habita e sente a cidade, apesar das nossas raízes estarem nestas povoações do (...)
09.Dez.19

Ficar para sempre na ignorância

historiasabeirario
  A frouxidão da manhã propiciou o sorriso na tarde, ainda bem para as viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra. Mas esta não se livra de um certo torpor, pelo menos é o que o viajante das viagens e andanças percebe. As árvores quase nada têm que as resguardar, estão como o menino que está representado no presépio da aldeia de Martinchel. As árvores assim ficam protegidas de um inverno rigoroso, aguentam a força do vento, que passa por elas sem as derrubar, (...)
19.Nov.19

As histórias precisam de leitores

historiasabeirario
  A meteorologia previu e não se enganou, a chuva está aí novamente, e com ela o frio, que deixa qualquer um desprotegido que não se tenha precavido no vestuário. Estão oito graus centígrados, mais logo, pouco mais estarão nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra. Pelo menos, o viajante das viagens e andanças tem esperança de  um, ou outro leitor, surjam nas aldeias de Martinchel e Carvalhal, as histórias não se intimidam, foram escritas para serem (...)
20.Set.19

As histórias visitam a aldeia

historiasabeirario
  A chuva voltou acanhadamente ás viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, assim estão os leitores da aldeia de Martinchel, retraídos com a leitura. Na biblioteca ambulante, o viajante das viagens e andanças observa raras as pessoas, uma duas, usaram o serviço do multibanco defronte da biblioteca ambulante no outro lado da estrada. Aqui o dinheiro é o grande rival das histórias ( agora mesmo, uma homem levanta dinheiro no ATM ), a biblioteca ambulante além (...)
03.Set.19

Ocorrências nas aldeias onde permanecem

historiasabeirario
  Finalmente chegou o verão no final do verão, nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, a progressão nas distâncias continua, as histórias não se amedrontam com acontecimentos naturais, elas são ocorrências nas aldeias onde permanecem. Na aldeia de Martichel, são alvo dos olhares de quem atravessa a aldeia, de automóvel, a caminhar, abrandam, alguns com modo estupefacto. Interrogam-se, haverá quem leia na aldeia, não terão ofícios por realizar, as (...)
24.Jul.19

Mas venham

historiasabeirario
  Os deuses que superintendem o universo escutaram-me, a manhã surpreendeu-me com um magnífico céu azul, uma alvorada como há muito não surgia. Bom dia para as viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, (qualquer dia é bom) hoje pelo norte do concelho de Abrantes. O calor vai restringindo quem se movimenta no exterior, acho piada a quem todos os dias no fresco artificial das estações de rádio, alertam no sentido ao bom tempo, sem chuva, irem às praias, (...)
03.Mai.19

Completar o dia a ler

historiasabeirario
Após se ter demorado na aldeia de Martinchel, onde nada aconteceu, a bibliotecca ambulante partiu nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra á aldeia do Carvalhal. Ao contrário da primeira, onde o trânsito automóvel não se esgota, a biblioteca parou numa rua sossegada, encostada ao posto de saúde, aproveitando a sombra. Mais um pouco, não tarda a surgir, vinda da sua casa, aqui ao lado, a Sulamita com uma história para devolver. Se a memória não me (...)