Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Acrescentando uma máscara

IMG_20200102_171258.jpg

 

Primeiro nevoeiro, a seguir o sol, foi a vez da chuva, agora a trovoada, falta o vento e neve, a qual me lembro só assisti à sua queda por aqui  uma duas vezes, para completar estes fenómenos naturais. Nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, muitas vezes fui apanhado desprevenido por qualquer um deles, houve dias que a roupa que vestia era insuficiente para me proteger. Enfrentar o frio com agasalho primaveril, estorricar ao sol, acolhido em roupas que conservam o calor, ter que me molhar sem ter abrigo no guarda-chuva. Tantas foram as situações inesperadas causadas pelo tempo, e hoje na primeira parte do dia aconteceram umas atrás das outras, como se de um desfile se tratasse. Estes imprevistos da meteorologia para quem gosta de viajar, mesmo sendo esse o ofício do viajante das viagens e andanças, que o realiza apaixonadamente e com despreconceito, causam expetativa, e imprevisto ao longo dos itinerários. Quando as viagens e andanças retomarem a normalidade nas estradas, pelas aldeias da minha terra, a prudência será permanente, antecipando o prolongamento das histórias, nas mãos há muito ausentes, daqueles que nunca as esqueceram, acrescentando uma máscara em qualquer circunstância meteorológica.

2 comentários

Comentar post