Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Afinal um pouco mais ...

IMG_20220805_154820.jpg

A aldeia está a desaparecer, foi esta a primeira frase que a leitora disse ao entrar na biblioteca ambulante. Efectivamente é isto que se passa nesta e noutras onde as histórias permanecem aguardando pelos leitores. Aldeias pequenas, outras maiores, lugares plantados no meio destas, onde as pessoas deixam de ser vistas, originam  aos que ainda cá andam a sentenciarem a própria aldeia onde vivem. A qualidade existe para quem opte viver nestes locais determinados na charneca ou próximos dos cursos de água, onde é fácil caminhar rodeado de plantas silvestres, ver e ouvir a fauna, estender os braços e tocar nas águas temperadas. Um ambiente rural que aceita as histórias da biblioteca ambulante, sinónimo de que a cultura está presente, têm curiosidade de saber mais. Porque não ter vida nas aldeias, as estradas que trazem as histórias, são as mesmas que trazem tudo o resto, o pão, os alimentos. Afinal um pouco mais de leitura poderá ser a oportunidade para despertar quem demonstra hesitação.