Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paulo Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paulo Auster

Convida a escrever

IMG_20200202_112028.jpg

 

O sol está oculto por espessas nuvens que ameaçam queda de água, a manhã assim convida a escrever. Foi nesta frescura abençoada por quem tem superioridade de gerir a existência de tudo, que saí para beber um café, transportar a minha cara metade ao trabalho e ter tempo de observar um veículo de recolha do lixo a  retirar desperdícios domésticos numa altura despropositada para o efeito. Enquanto aguardava pela abertura dos CTT, fiquei perplexo, como não é possível este serviço à comunidade, ser realizado a horas onde não crie problemas para quem transita e quer estacionar as viaturas para ir trabalhar. Acredito que para quem esbarra com esta situação o seu estado ficará prestes a arrebentar de ansiosidade e sei lá mais o quê, chegar antepadamente, colocar o seu carro no lugar demarcado, ir beber o café habitual ou mesmo aconchegar o estômago com a primeira refeição do dia, não fique incapaz de uma qualquer atitude menos própria. Com o decorrer dos anos criamos automatismos dos quais é difícil desabituar-nos e quando se nos depara algo inesperado que impeça o comportamento regular, transformará o curso natural das coisas num dia irritante. O lixo e outros esbanjamentos, heróis desta crónica, ajustados por quem administra terão certamente à semelhança do restante o seu horário regularizado.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.