Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Desafio dos pássaros #2.5 Acordas e tudo o mais que desejavas ralizou-se: conta-nos como foi o teu dia

Acordei com menos cabelo o que mais desejava, o primeiro assunto que me lembrei, foi do texto que agora escrevo, «Acordas e tudo o mais que desejavas realizou-se: conta-nos o teu dia». Para além da intromissão na vida alheia, tenho que escrever um texto sobre o meu dia. Escreverei verdades ou escreverei como se de verdades conversasse, quem ler o texto o que pensará da pequena história do meu dia? Vou escrever que o meu dia foi passado entre amigos, almoçamos num bom restaurante, comida boa, vinho excelente e de preço elevado. Só não coloco fotos, dos amigos, da comida e do vinho, porque o texto é sem fotos. Não aconteceu nada do que escrevi, não passei o dia com amigos, almocei na minha casa e bebi água, tenho de conduzir a biblioteca ambulante, segurança acima de tudo. Sem conscientizar o que escrevi, revelei um pouco do meu dia, com as histórias, minhas confidentes, amigas. A intimidade entre mim e elas está presente todos os dias, muita confiança, ao ponto de sermos cúmplices, nas inúmeras viagens já realizadas. Um dia de condução, por estradas largas, por estradas estreitas, distâncias longas, tantas vezes percorridas noutros dias, a indiferença tem alturas que se quer sobrepor. Mas não é bem assim, apesar da repetição dos percursos, os momentos são sempre diferentes, com os panoramas a serem alterados, pelo homem, pela natureza, por mim, olho para eles sempre de maneira diversa quando me aproximo. Um dia em que sou um intruso, ou um amigo, nas aldeias que me acolhem por breves períodos, um dia em que estão todos, ou não está nenhum. Um dia de muito frio,   ou calor, um dia cheio de amor pelo que realizo. Um dia de tristeza pelo que podia realizar e não realizei,um dia que queria ter o que não me querem dar. Um dia sem perder a confiança no futuro, um dia em que as histórias continuam a fazer parte da minha história.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.