Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paulo Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paulo Auster

Esquecimento da aldeia

16641009_10208263238206784_4456554718758094217_n.j

 

16830682_10208263239366813_8059779239986522846_n.j

16865007_10208263237646770_3314480358337474083_n.j

16865002_10208263238766798_9025265772114167922_n.j

Início de mais uma semana cheia de viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, tarde com sol não obstante o vento a tentar corromper. Os murmúrios vão e vêm na aldeia da Concavada, alguns aldeões vagueiam sem sentido, como se tivessem todo o tempo do resto das suas vidas, liberto de preocupações. Tradicionalmente a população da Concavada sustenta que o topónimo da aldeia teve origem nuns Cuncas que vieram à região fazer uma cavada, para depois aqui se fixarem. E argumentam até, que actualmente ainda existam pessoas com este apelido (D. T. E. C. A.). Sentadas num banco, duas mulheres conversam, porventura do seu quotidiano, dos seus hábitos, dos filhos que possam estar desempregados, os netos, a interioridade o esquecimento da aldeia, que à semelhança de tantas  outras está sujeita ao mesmo.