Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Estou como o pescador ...

IMG_20221130_110624.jpg

O frio não demove a chuva mesquinha a cair obstinadamente nesta manhã na Aldeia do Mato. Sem abrir as portas da biblioteca ambulante espero pacientemente por leitores aventureiros. Estou  como o pescador lá em baixo no rio, aguardando sem perder a calma que o peixe caia na armadilha presa no anzol. Não têm conta os lançamentos da linha de pesca efectuados para a água até o peixe ser apanhado nas falsas afirmações do isco. No interior da biblioteca, sem linha, com a chuva a persistir vejo as pessoas a passarem protegidas pelos guarda-chuva, abatidas do frio, apressadas. As histórias não lhes dizem nada, vão à igreja, não são peixes. Não estou a pregar  bem a minha doutrina, terei de seguir o exemplo do pescador no rio, no seu barco, aborda-los com inúmeros ensaios ao aproximarem-se, ou invocar à Virgem influência para desviarem os olhares no sentido deste rio de palavras, que corre sem se ver, movendo-se nas sinuosidades entre as aldeias.

2 comentários

Comentar post