Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Porque não havemos fazer todos um acontecimento

12654314_10205482115240448_1061257825716220317_n (

 

Outro dia a enganar o tempo, o que não acontece com o astro que se ergueu cheio de vigor no lugar do costume. Num tempo em que as cartas manuscritas são património da correspondência, onde os carteiros presentemente não esgotam o volume de encomendas que entregam. Sou testemunha pela observação diária de  viaturas dos CTT e das empresas de entregas, na rua onde habito, cá em casa também as recebemos. Fico com um sentimento de cobiça ao vê-las estacionadas de portas escancaradas, cheias até ao cimo de caixas, pacotes e sei lá mais o quê, por não poder estar a fazer o mesmo, dando histórias com a biblioteca ambulante pelas aldeias da minha terra. Receber as pessoas, sugerindo histórias, conversando disto e daquilo, por fim vão-se embora, nas mãos seguram livros, seguram sacos com livros. Levam no coração a confiança para voltarem, e eu trago a amizade e vontade de os voltar a reencontrar. Há demasiado tempo que tal não acontece, não sei quando voltará a acontecer, se uns fazem acontecer, porque não havemos de fazer todos um acontecimento.