Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Ser diferente na sua terra

IMG_20190821_063528.jpg

IMG_20190821_165622.jpg

 

O raiar do dia envia cores fantásticas e ao mesmo tempo anunciadoras do calor que se irá instalar mais logo no decorrer das viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra. O alarmismo desencadiado nas rádios e televisões são o exemplo que no interior o diabo anda á solta, como se quem ocupa este e outros territórios semelhantes não estejam familiarizados com este fenómeno. Estamos no verão é normal assim acontecer esta fúria dos elementos naturais. Seria tão bom que informassem das viagens e andanças, desta e outras bibliotecas ambulantes, que não olham ás condições atmosféricas para fazer acontecer com as histórias nos lugares e aldeias distantes de tudo e todos. Que dão sonhos e conhecimento a pessoas  teimosas e resistentes, que amam os sítios onde nasceram, onde são felizes, apesar da falta de atenção de sucessivos governos. Que informassem que no interior brotam indústrias e outros serviços que empregam jovens, dando garantias para a sua continuidade nestes locais. Isto não é só incêndios, onde jornalistas se deliciam em arrastar longamente, muitas vezes sem conhecimento a sua escrita e comentários das tragédias fomentadas na época estival. Há património humano, natural, histórico. imaterial e gastronómico que necessita de ser apoiado com mais inteligência da parte de quem comanda os nossos destinos, porquê assobiar sempre para o ar consecutivamente? Na aldeia do Souto os 38º equivocaram a histeria radiofónica e televisiva, para quem suporta temperaturas superiores. Deixem o conforto do litoral e das grandes cidades, venham para o bem estar do interior, visitem as praias fluviais rodeadas de vegetação luxuriante, puxem pela oralidade destas gentes que tem muitas histórias para contar, certamente irão cruzar com bibliotecas com rodas onde poderão partilhar histórias, as vossas e as nossas. A aldeia das Fontes tem uma agitação anormal na sua regularidade quotidiana, veículos  deslocando-se a demorarem-se na Tasquinha da Aldeia, a estreia recente da praia fluvial, trouxe forasteiros a esta freguesia, um exemplo de instalação que gera empregabilidade e mais comércio. Aditando os que se mudam voluntariamente para outros estados europeus, e que regressam nas férias, promove o aumento de população e comércio. A biblioteca ambulante traz maneiras de aprender, conhecimento, de ser diferente na sua terra.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.