Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

27.Ago.21

As raízes...

historiasabeirario
A terras da charneca apresentam gretas, o vento não se aborrece por estas paragens, a cor castanha predomina no terreno árido. Tem sido assim nas últimas semanas, os hábitos de leitura pelas aldeias da minha terra secaram, excepcionalmente surgem parcelas férteis, poucas, mas determinadas a não perder a prática da leitura. As raízes destes lugares continuam a causar leitores, na sombra das árvores mais velhas, as plantas lenhosas ainda tenras crescem protegidas da ausência da água. 
28.Fev.20

Já leste estes livros todos?

historiasabeirario
O relógio da torre sineira da igreja da Aldeia do Mato toca quatro vezes, o sol está quente, lá mais em baixo a água do rio está apelativa. Que bem sabia, um mergulho, libertar as poeiras do inverno que ainda não se foi embora, mas a primavera é teimosa e insiste na antecipação. Só nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, é possível encontrar os diversos estados da meteorologia. Os campos que acompanharam a viagem da biblioteca ambulante até esta (...)
28.Fev.20

Já leste estes livros todos?

historiasabeirario
O relógio da torre sineira da igreja da Aldeia do Mato toca quatro vezes, o sol está quente, lá mais em baixo a água do rio está apelativa. Que bem sabia, um mergulho, libertar as poeiras do inverno que ainda não se foi embora, mas a primavera é teimosa e insiste na antecipação. Só nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, é possível encontrar os diversos estados da meteorologia. Os campos que acompanharam a viagem da biblioteca ambulante até esta (...)
07.Fev.20

Gerar futuros leitores

historiasabeirario
  Fui ver o rio outra vez, desta vez estava resignado, com o tempo enevoado, arrisquei caminhar numa rua da Aldeia do Mato, onde só os meus passos ouvia. Nos beirais dos telhados, os pardais atordoados por tanta tranquilidade, assustam-se à minha passagem. Perto do miradouro, um som familiar chega-me aos ouvidos, a lâmina de uma enxada a ferir a terra, rasgando-a de seguida com violência. Uma mulher e um homem quebram o silêncio tratando a terra, as suas entranhas são escuras, (...)
13.Nov.19

Amola tesouras

historiasabeirario
  Ainda a numeração no calendário não tinha transposto o décimo segundo dia do mês já a água não parava de cair, sem grande estrondo, fina e gelada. Continuou apesar das pequenas pausas as nuvens nunca deixaram de lançar água. Nem assim a biblioteca ambulante desiste das viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, dos leitores, dos encontros e desencontros. Na aldeia da Carreira do Mato, uma surpresa agradável, o som da gaita de beiços do amola tesouras (...)
27.Ago.19

A quem queira explorar as histórias

historiasabeirario
  O azul matinal amansou a cor pardacenta das últimas manhãs, as viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra rumam para a aldeia da Carreira do Mato, altiva perante o Rio Zêzere mais folgado nesta região. A vista seduz quem por aqui viaja, convida a permanecer, a degustar os sabores do rio e da terra, as histórias ficam suspensas nas mãos dos leitores que as aproveitam no limite das margens, nas sombras das árvores que molham as raízes no curso de água. A (...)
28.Jun.19

O verão ganha entusiasmo

historiasabeirario
Finalmente o verão ganha entusiasmo, que seja extensivo na estimulação dos leitores da aldeia da Carreira do Mato, para onde as viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra me conduzem. Defronte da Tasca do Ti Zé nada acontece, exceptuando dois aldeões dialogando entre si, dentro de dias esta e outras aldeias terão mais população, com o regresso dos emigrantes e dos outros que estão instalados na capital e arredores. As festas e romarias nos meses de verão nunca (...)