Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

Histórias à Beira Rio, viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra

"Afinal, a memória não é um acto de vontade. É uma coisa que acontece à revelia de nós próprios." Paul Auster

14.Set.21

De outra força moral

historiasabeirario
Debaixo da chuva, com o barulho ensurdecedor dos pingos grossos a soar nos ouvidos do viajante das viagens e andanças, assim foram as deslocações no primeiro período do dia pelas aldeias da Foz, Água Travessa e Chaminé. Apesar da tempestade que se abateu, os leitores apresentaram-se com as histórias para devolver, abrigados no interior da biblioteca ambulante, dialogavam, adoptando novas histórias para lerem até ao próximo regresso às suas aldeias. Agora, de tarde, o sol é um (...)
10.Mai.21

O acanhamento da manhã...

historiasabeirario
  O acanhamento da manhã não impediu a biblioteca ambulante de rumar às aldeias da Foz, Água Travessa e Chaminé. Debaixo de nuvens ameaçadoras, atravessando campos cultivados, nos quais pequenas plantas ganham altura motivadas pela água que cai. Peregrinos puxados pela fé  caminham para Fátima na berma na estrada. Foi num abrir e fechar de olhos que o viajante das viagens e andanças, concluiu o trajecto. Emoção, espanto, foi o sentimento de quem chegou e de quem estava, (...)
03.Set.20

Histórias narradas noutro tempo (revistas e corrigidas)

historiasabeirario
  A cor verde predomina nas planícies encravadas nos largos vales, nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra. Rumando à Chaminé e Água Travessa o viajante na biblioteca ambulante não se cansa de observar os campos que não param de se transformar. Cada vez que por aqui transita o cenário nunca é igual, são as cores, a terra remexida, plantas novas, o sol a chuva o nevoeiro, a penumbra. Os rebanhos, umas vezes ovelhas, outras cabras, não esquecendo o gado (...)
17.Dez.19

Com o frio à boleia

historiasabeirario
A alegria do dia contagia as pessoas na rua, assim como irá corromper as viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, juntamente com as histórias às povoações da Chaminé e Água Travessa. Absolute Beginners, de David Bowie acompanha o viajante das viagens e andanças, com as memórias a invadirem a viagem pelo amplo vale, pouco antes de outra aldeia, Bemposta. Na Chaminé ainda as portas se abriam, imediatamente uma mulher apareceu, surpreendendo o viajante (...)
08.Nov.19

Tudo não passa de um acto

historiasabeirario
  A carrinha de caixa aberta, avança lentamente no asfalto, adiante da biblioteca ambulante nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, dá sinais que vai desfalecer, a abarrotar de sacas cheias de azeitona, progride na mesma direcção das histórias, a aldeia da Chaminé, onde nesta altura o seu lagar não tem descanso. A sua fama de produzir bom azeite, suplanta os limites da freguesia onde está instalado, de quase todo o conselho chegam azeitonas para serem (...)
18.Out.19

Com vontade de repetir

historiasabeirario
  Brilhante e cinzenta, são as mudanças da tarde nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra. Aparentemente estão ausentes na aldeia da Chaminé, só os cães se ouvem ladrar, um ou outro cacarejar, num qualquer quintal, arquitectado nas traseiras das casas baixas que ladeiam as poucas ruas da povoação. Perfeitos paraísos privados, com água no poço, preenchidos por canteiros de flores, de hortaliças, completados de pequenas capoeiras, que asseguram (...)
30.Set.19

Aconteceu a preto e branco

historiasabeirario
  A manhã aconteceu a preto e branco, a tarde nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra sucede colorida e quente. Na primeira aldeia, a ausência foi presença assídua, no período em que a biblioteca ambulante se demorou com as histórias. Somente a frescura branda do vento a impulsionar a viagem seguinte para a aldeia da Água Travessa, onde certamente leitores se acercarão das histórias. Na Chaminé são os velhos a população emergente, os outros são (...)
30.Ago.19

A terra está viva

historiasabeirario
  Após a penumbra na ponte das Areias a biblioteca ambulante entra no vale, estendido á sua frente, ladeando a estrada o milharal amadurecido aponta ao céu. Quem ande no seu encalce, num instante desiste, pouco depois volta a acreditar, a sua ocultação motivada pela dimensão vertical do cereal, não é mais que um engano. Prudentemente desliza pelo asfaslto, no interior o viajante das viagens e andanças, atento ao que acontece ao longo da depressão natural, progredindo até á (...)
15.Jul.19

O homem da paragem do autocarro

historiasabeirario
Depois de uma manhã cinzenta e fresca, a tarde tornou-se luminosa, quente não o bastante para andarmos desafogados, estonteantes de tanto ardor. Para além do Tejo continuam as viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra, um início de semana promissor como todos os princípios, para levar as histórias as aldeias da Chaminé e Água Travessa. Na primeira a ausência de leitores opõe-se aos  automóveis estacionados nas sombras das árvores e  dos poucos  edificios. (...)
31.Mai.19

Desejo de aprender mais ainda

historiasabeirario
    Desafiando o calor, a biblioteca ambulante ruma na direcção das aldeias da Chaminé e Água Travessa, nas viagens e andanças com letras pelas aldeias da minha terra. Atravessando a ponte que permite a transposição sobre o rio, olhando cá de cima, as suas águas voltam a subir, os dedos das mãos dos homens que o amansaram empurraram o botão, transmitindo á barreira que o detém que se feche. O contrário também foi efectuado, e num abrir e fechar de olhos as águas quase (...)